Sábado, 24 de Abril de 2004

...poema do livro lido...

…Deixem-me ser um poema!
deixem-me ser todo eu um livro;
queria ser todo eu algo escrito,
algo para dizer ou ser dito!
queria ser todo eu um poema
para num livro à tua cabeceira pousar,
sentir-me ser lido
e nas tuas mãos versejar.
deixem-me ser um poema!
se o livro que desejo ser,
em livro um dia se tornar,
que seja o livro do livro lido
por todos os que precisam de amar...
sou assim, o poema desta manhã,
as palavras desta tarde
e os sons desta noite;
sou a manhã deste poema
e a tarde destas mesmas palavras,
a noite dos sons do fogo que arde...
sinto assim a sua fragrância,
numa ânsia
de palavra dita
ou mesmo de palavra escrita...
sinto o odor do poema versejado,
ouvido,
relido,
mirado,
querido
ou até mesmo...odiado...
sinto o cheiro da palavra que escrevo
ou da palavra que leio...
sinto o poema dentro de mim
com a manhã a nascer em ti
ouvindo a tarde adormecer
na noite do teu sonho de prazer...
sinto-me poema...
sinto-me palavra...
sinto-me viver...
deixa-me ouvir...
deixa-me ler...
porque não quero sentir a dureza do insulto
que o silêncio em mim provoca...
não quero ouvir os gritos lancinantes
dum silêncio que tanto me choca...
quero ouvir as palavras ditas...
quero ler as palavras escritas...
quero ouvir os sons que elas me trazem...
quero ler as tonalidades que elas fazem...
quero sentir o impacto do dito...
quero sentir o embate do grito...
não quero ler a palavra não escrita...
não quero ouvir o silêncio do livro vazio...
não quero escutar o silêncio do não dito...
quero sentir a pureza da voz
que a palavra escrita me traz...
quero sentir o estrondo do grito
que a palavra dita me faz...
quero sentir que és...
quero sentir que estás...
quero sentir as palavras
e quero os livros com elas gravadas!...
deixem-me ser um poema!...
escrevo assim
o poema desta manhã
com as palavras da tua tarde
e os sons da nossa noite,
e, se a noite chegar,
sem que a manhã tenha surgido,
não tenhas receio,
não tenhas medo,
porque mesmo assim eu te leio...
publicado por quim às 17:34

link do post | comentar | favorito
|
12 comentários:
De quim a 25 de Abril de 2004 às 21:33
...to Aran: *
De Aran_aran a 25 de Abril de 2004 às 18:39
Gostei... está lindo! Beijos
De quim a 25 de Abril de 2004 às 08:33
...to Lique: *
De quim a 25 de Abril de 2004 às 08:31
...to Titas: obrigado; boa viagem; é verdade, não consigo entrar no bloguices... *
De quim a 25 de Abril de 2004 às 08:30
...to Betania: *
De quim a 25 de Abril de 2004 às 08:29
...to Encandescente: *
De quim a 25 de Abril de 2004 às 08:29
...to Dora: obrigado; um bom fds para ti também...
De titas a 25 de Abril de 2004 às 02:44
Vim triste, parto mais aconchegadinha.
Um beijo

(só tu não consegues entrar quim. Deves ter praí uma firewall qualquer que quer sabotar a quinta...)
De lique a 24 de Abril de 2004 às 23:56
Deixem-me ser um poema... Quantas vezes não desejamos ser poema, conto, romance, até livro em branco para ser lido, folheado, amado! belo poema, Quim! Bjs
De betania a 24 de Abril de 2004 às 21:27
quim...deixaste-me despojada de palavras...livro
escrito em branco...é o que me sinto perante tanta grandeza tua...

Obrigado pelo belo poema que aqui deixaste.

beijinho.
betania

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Novembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. ...fim

. Apetites

. ...primeiro aniversário.....

. ...mudei para aqui:

. ...dá prazer ouvir...

. ...amar como o vento...

. ...upgrades...

. ...morreu...

. ...nave...

. ...adeus Fialho...

.arquivos

. Novembro 2006

. Junho 2006

. Novembro 2004

. Outubro 2004

. Setembro 2004

. Agosto 2004

. Julho 2004

. Junho 2004

. Maio 2004

. Abril 2004

. Março 2004

. Fevereiro 2004

. Janeiro 2004

. Dezembro 2003

. Novembro 2003

blogs SAPO

.subscrever feeds